Correia Poly V: o que é e como funciona?

O que é uma Correia Poly V?

A Correia Poly V, muito utilizada na indústria e no comércio, possui características especiais para aplicações específicas. A primeira e mais evidente está ligada ao seu corpo, mais precisamente à sua face interna, que é diferente das faces de correias comuns. Há frisos ou “ranhuras” ao longo de seu comprimento, que correspondem às mesmas ranhuras também presentes nas polias em que vão ser acopladas. Dessa forma, a correia e as polias trabalham em perfeita harmonia, como mostra o exemplo da figura 1.

 

correia-poly-v
Exemplo de Correia Poly V + Polia

Vantagens de uso

As Correias Poly V apresentam diferentes vantagens, sendo as principais:

  • Maior durabilidade da correia e roldana, quando comparada a correias comuns;
  • Redução do custo de acionamento;
  • Desempenho consistente;
  • Trabalho em baixas e altas temperaturas (de -30 °C a 80 °C);
  • Condução elétrica em conformidade com o padrão ISO 1813;
  • Condicionalmente resistente a óleo;
  • Composição adequada para unidades com polias internas e externas;
  • Distribuição uniforme de carga em toda a seção transversal;
  • Redução de cargas sobre mancais e rolamentos;
  • Extrema flexibilidade
  • Espessura reduzida;
  • Alta velocidade de superfície combinada com altas taxas de velocidade em polias menores;
  • Menos ruído, vibrações e peso, quando comparada a correias comuns;
  • Pode ser aplicada em unidades no verso e em layouts compactos;
  • Razão de velocidade constante.

Fabricação: especificações técnicas

O processo de fabricação e as especificações técnicas de uma Correia Poly V variam de acordo com a marca fabricante. Trazemos abaixo as especificações de duas diferentes empresas: Megadyne e Continental.

A Correia Poly V Megadyne é fabricada a partir das seguintes especificações:

1) CORPO: Constituído por um composto de borracha especial à base de polibutadieno, que garante alta eficiência de transmissão e assegura menor desgaste;

2 e 3) CORDONÉIS: Constituídos por cabos em poliéster de alto desempenho, que garantem a estabilidade do comprimento;

4) REVESTIMENTO: O revestimento no costado protege os cordonéis e permite o uso de esticadores.

Veja um exemplo da Correia Megadyne e suas especificações técnicas na figura 2, abaixo:

partes-de-uma-correia

 

Em sua construção, a Correia Poly V Continental é fabricada a partir de quatro principais características:

1) Nervuras de borracha sintética;

2) Composto incorporado;

3) Elemento de tensão de poliéster;

4) Tecido de cobertura de poliamida.

Veja um exemplo da Correia Continental em suas especificações técnicas na figura 3, abaixo:

correia-frisada

Função dos frisos na Correia Poly V

Conforme citado no início, as Correias Poly V possuem frisos ao longo de sua face interna para um trabalho harmônico em conjunto com as polias.

Os frisos em forma de “V” são projetados para encaixar com precisão em polias com ranhuras de mesmo formato. Assim, as correias transmitem torque por meio do contato das laterais dos frisos junto às ranhuras das polias poly V, o que garante uma distribuição uniforme de tensão ao longo de toda sua extensão.

Como selecionar uma Correia Poly V

Em primeiro lugar, a seleção de uma boa correia modelo Poly V começa pela escolha da marca. As principais marcas do mercado são: Gates, Continental e Megadyne, empresa italiana que tem no Brasil a JW Engenharia como grande parceira de distribuição. Conheça agora os produtos oferecidos pela empresa e faça uma cotação.

Em termos técnicos, a escolha da correia deve ser feita por diferentes especificações. Uma delas é, por exemplo, a medida da correia, que deve se adequar a sua aplicação. Seu comprimento precisa respeitar a distância, o formato e o tamanho das polias onde vai ser aplicada. Veja um exemplo de medidas de Correias Poly V da marca Continental na figura 4, abaixo:

correia-poly-V-continental
Medidas das correias Poly-V da Continental

Na hora de selecionar uma correia Poly V, é importante observar o formato de perfil e o número de frisos, independente da marca. Essas características devem corresponder aos padrões das polias onde vai ser aplicada.

Como medir uma Correia Poly V

Para medir uma Correia Poly V, é preciso, em primeiro lugar, medir a altura da correia, para em seguida medir sua largura e circunferência, como se estivesse medindo a cintura de uma pessoa. 

Após isso, é preciso identificar o intervalo/passo da correia (distância entre os centros de dois dentes seguidos) e contar os números de frisos. Essas medidas servem para calcular o encaixe dos frisos nos sulcos das Polias Poly V, para garantir a harmonia de trabalho entre a correia e as polias.

Trouxemos na figura 5 um exemplo de diferentes perfis e intervalos de dentes presentes nas correias Poly V da empresa Megadyne. Eles se subdividem em PH, PJ, PK, PL e PM.

correia-poly-v-tipos-de-perfis
Poly V: Perfil e intervalo de dentes (Megadyne)

Eficiência da Correia Poly V

Por causa da sua alta flexibilidade, as Correias Poly V podem ser utilizadas em polias com diâmetros pequenos, o que reduz os custos de acionamento. Além disso, as Poly V podem alcançar uma velocidade linear de até 60 metros por segundo. Entretanto, é possível aumentar a potência com um maior número de frisos antiestéticos, como a empresa Megadyne destaca em seu site. A empresa italiana também aponta a capacidade de trabalho das Correias Poly V, que pode variar em temperaturas negativas e positivas, de -30° a 80° C (graus Celsius).

Aplicações da Correia Poly V

A Correia Poly V pode ser aplicada em diversos equipamentos presentes em diferentes segmentos, como por exemplo:

  • automóveis; 
  • pedra cerâmica e vidro; 
  • eletrodomésticos; 
  • elevadores e monta-cargas; 
  • energia; 
  • esporte e fitness; 
  • indústria alimentícia; 
  • agricultura e jardinagem; 
  • máquinas e ferramentas; 
  • logística; 
  • embalagens; 
  • indústria de papel e gráfica;
  •  indústria de reciclagem; 
  • robótica e automação; 
  • indústria têxtil; 
  • indústria madeireira. 

A tabela abaixo mostra alguns exemplos de faixa de potência em que as Correias Poly V podem operar:

tabela-de-potência-correia-poly-v

Principais causas de desgaste das correias e possíveis soluções

As correias podem sofrer desgastes por diferentes motivos. Por isso, detalhamos na figura 6, feita em conjunto com a Gates Brasil, os principais motivos que a levam a sua deterioração, além de possíveis soluções.

guia-de-solucoes-para-correias-industriais

Aproveite e baixe agora o catálogo de Correias Poly V da Megadyne.

Normas ISO e RMA

No que se refere às normas, as correias podem ser identificadas de duas formas: RMA e ISO.

Exemplo 1, usando a norma RMA:
Correia 500 J10
Vamos detalhar o comprimento, o perfil e o número de frisos, também chamado de ribs.

Os dois primeiros dígitos se referem ao seu comprimento, que está em polegadas.
Em seguida, há uma letra que equivale ao seu perfil.
Por fim, temos um número que corresponde ao número de frisos.

Ou seja:

  1. Comprimento: 50 polegadas = 1270mm
  2. Perfil: J
  3. Nº de ribs: 10

Agora, para especificar a mesma micro correia com base na norma ISO:
ISO: 10 PJ 1270

  1. Comprimento : 1270
  2. Nº de ribs: 10
  3. Perfil: PJ

Exemplo 2, usando a norma RMA:
Correia 500 J10

  1. Comprimento: 87 polegadas
  2. Nº de ribs: 10
  3. Perfil: J

Para especificar a mesma correia, porém utilizando a norma ISO:
ISO: 10 PJ 2210

  1. Comprimento : 2210
  2. Nº de ribs: 10
  3. Perfil: PJ

Correia Poly V Normas MRA e ISO

 

 

 

Veja artigos relacionados para saber mais sobre o assunto:

 

Compartilhe essa publicação!

Nos siga nas redes sociais

Principais Produtos

Artigos mais populares

Baixe nossos Catálogos

Conheça nosso canal no Youtube

Aplicação de Bandagem Industrial TAPEGLASS - Reparo em vazamento de tubulação PEAD de 6" (realizado em 3 minutos).

Reproduzir vídeo sobre reparo rápido definitivo feito com bandagem industrial tapeglass

Comparativo do desempenho Nord-Lock com vários tipos de arruelas em teste Junker de Vibração.

Reproduzir vídeo sobre gráfico do teste junker em arruelas nord lock